segunda-feira, outubro 23, 2006

O FIM

Vejo as minhas mãos como um ralo aberto…
Vejo-te como água que desliza pela parte concava,
Escapar-se por entre dedos até ao rio mais perto…

Consigo ver por entre os olhos vermelhos de aperto,
Que as nossas lágrimas não regam a areia árida
Que sugámos entre orgulhos até nos tornarmos num deserto…

Contudo, vejo também uma coisa que me faz sorrir…
Vejo que deixámos a árvore a morrer,
Mas algumas folhas para o que há-de vir…

5 Comments:

Blogger Pandora said...

Bom quando a árvore ainda encontra forças para se revigorar sob efeito de nova seiva, abrindo portas para um frondoso futuro.

Saber que tudo na vida pode ser renovável, é o que pode nos impulsionar perante as adversidades.

Beijo

6:00 da tarde  
Blogger jomaolme said...

Espero que "o que há-de vir" seja bom!!

Boa semana

Beijokas

6:36 da tarde  
Blogger Zélia said...

Desejo-te então boa sorte :)

Acredita que tudo pode renascer de novo :)

Bjinho

6:41 da tarde  
Blogger FLI said...

(NOTA:NADA A VER): Venho aqui mandar vir ctg, pq alguém ñ dá noticias...alguem...não sei quem??!!! Hum...miss u!

2:54 da tarde  
Blogger lagarto said...

acreditar não é acontecer...e muitas vezes acontecer não ker dizer acreditar.

mana já respondi por via mais intima (salvo seja)

4:50 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home