segunda-feira, setembro 04, 2006

ESPIRITO ABERTO OU ABERTO A ESPIRITOS?

Turquia, século XX:
" Abeit Suzulmus era fazendeiro de profissão. Tinha duas mulheres, Hatice e Sahida, e vários filhos. Numa noite de janeiro de 1956, quando se encontrava nas suas cavalariças, foi assassinado pelos seus empregados a golpes de machado.
Acorrendo aos gritos, Sahida e dois dos seus filhos foram também selváticamente chacinados. Os bandidos contavam assim suprimir testemunhas inconvenientes, mas alguns dias mais tarde foram capturados e condenados à morte.
Algum tempo depois deste acontecimento trágico, um comerciante da mesma localidade teve um filho a quem chamou Ismael. Foi notado que trazia no crânio uma marca profunda, a qual, contudo, não tardou em desaparecer completamente. Pouco tempo depois de ter completado dois anos, a criança, que já falava muito bem, disse um dia ao pai:
« já estou farto de estar aqui, quero voltar a minha casa, para perto dos meus filhos».
O pai, estupefacto, pôs-se a interrogá-lo. O rapazinho disse então que se chamava Abeit Suzulmus. Depois contou o seu duplo casamento e a sua morte, precisando que tinha morrido de uma ferida no crânio. A partir desta altura não parou de repetir que o seu verdadeiro nome era Abeit, reconheceu a «sua familia», arrastou toda a gente até à cavalariça e explicou as circustâncias do assassinio.
A Hátice, que estava presente, disse claramente que era a sua primeira mulher..."
Retirado do livro ABC da Mente Humana, edição de 1990.
Este livro é escrito por Cientistas, Psicólogos e Psiquiatras, não por pantemineiros.

Eu acredito...cada um terá a sua opinião...mas uma coisa não se poderá negar:

para além dos limites das crenças e da imaginação do Ser Humano existe 85% de mente que esmagadora maioria das pessoas não sabe nem consegue utilizar...e se realmente muitos dos frutos da nossa imaginação sejam na verdade coisas reais que o consciente não reconhece como tal? Demónios e Santos, Espiritos e Corpos...numa dança cujos limites são desconhecidos...

4 Comments:

Blogger Principessa said...

já dizem nuestros hermanos:

"No creo en brujas, pero que las hay, las hay!!!"

6:55 da tarde  
Blogger lagarto said...

só se forem teus irmãos! então andou o outro desgraçado a bater na mãe e agr são nossos irmãos?!lol

7:20 da tarde  
Blogger Visconde said...

Podemos ou não acreditar, mas devemos sempre respeitar.

Grande abraço

2:08 da manhã  
Blogger Zélia said...

Eu também acredito!

Há muitas coisas que acontecem que nós não conseguimos explicar...!

Bjinhos :)

2:54 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home