quarta-feira, setembro 06, 2006

Unicórnio

Às vezes perece que as árvores que tento trepar estão cobertas de musgo que desliza sob a minha pele molhada…
É um fruto apetecido lá no cimo
Que se torna proíbido…impossível…

Tento atravessar mares para te alcançar,
Mas regrido com a maré…
Parece que tenho os membros amputados e começo a perder a fé…
Nunca te alcançarei…

Tento falar para me fazer entender
Mas nem eu me entendo…
Tenho as cordas vocais cortadas…talvez

Corro atrás de ti…
Mas vejo-te num espelho
E invariavelmente persigo-te no sentido contrário…

És a minha luz e quero que me ilumines…
Nem que seja para me veres…
Porque tenho as pálpebras coladas,
Nem sei o que é luz…

Meu Unicórnio…eu não desisto do que me seduz…

7 Comments:

Blogger Zélia said...

O teu unicórnio tem muita sorte :)

Nunca desistas, desistir é morrer!

Boa sorte na tua luta :)

5:03 da tarde  
Blogger lagarto said...

neste jogo/luta de um para um, a sorte reduz-se muito à vontade do outro lutador

7:49 da tarde  
Blogger lagarto said...

no sentido em que eu luto, e a sorte k normalmente é um factor de peso, perde o seu peso, para a vontade do outro tomar um peso igual ao da mha vontade...

7:51 da tarde  
Blogger Visconde said...

Podes não alcançar, mas não deves desistir de tentar ...

Grande abraço

2:15 da manhã  
Blogger lagarto said...

para tentar são precisas forças...tarefa dificil para kem se alimenta de ar...

2:22 da manhã  
Blogger Zélia said...

Não credito que assim seja!

Se amas realmente vais buscar forças onde menos esperas :)

Não desistas!

4:42 da tarde  
Blogger dreams said...

um sonho é feito de ar, de pó das estrelas...
por isso podes sonhar...
e um dia será teu...

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

1:46 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home