segunda-feira, novembro 27, 2006

Morte anunciada

Às vezes ponho-me a pensar na relatividade de tudo e todos...e hoje cheguei à conclusão que trocava a eternidade no paraíso pela veracidade daquela teoria que diz que, quando morremos e a alma abandona o corpo, conseguimos ver este estendido e reconhecemo-nos a nós próprios.
A minha troca é simples mas só faria sentido se tivesse uma morte anunciada numa cama de hospital ou no leito onde todos os dias durmo...é que enquanto vivo vejo-me rodeado de todo o tipo de pessoas, mas nessa morte anunciada, quando a alma decidisse abandonar o corpo, conseguiria ver realmente quem lá estaria e dessas pessoas quais as que realmente sentiriam a minha partida.

Acho que a minha alma partiria muito mais feliz por ver que alguém gostara de mim, mesmo que fosse a caminho do inferno, do que se partisse em direcção ao paraíso com o choro nos olhos de quem parte sem deixar saudade...como quando se apanha um autocarro para longe e vemos toda a gente cá dentro a fazer adeus a alguém lá fora...e nós sozinhos, resumidos a um aguardar de fones nos ouvidos pelo arranque do motor, tentando imaginar que alguém se foi despedir ou nos irá receber...mas sabendo no fundo que faremos esta viajem sozinhos.

7 Comments:

Blogger jomaolme said...

Belo texto.
Eu também gostaria de morrer e ver gente que realmente gostava de mim. Tipo assistir ao próprio funeral e ver quais as pessoas que em vida se preocupavam e gostavam verdadeiramente de mim.
É um tema que dava pano para mangas.

Beijokas

5:01 da tarde  
Blogger Zélia said...

Andamos numa fase negativa?!

Não penses na morte, pensa antes em viver e no que podes fazer em vida :)

7:14 da tarde  
Blogger lagarto said...

ñ é pensar na morte, antes pelo contrário! pensar na vida ék coloca estas kestões!

9:39 da tarde  
Blogger Principessa said...

queres fugir comigo e ver quem é que nos procura? lol

vamos ter com o d. sebastião ao sotão (private joke) e ficamos lá a ver, que te parece? ;) *

10:03 da tarde  
Blogger Visconde said...

A vida é curta, por isso devemos aproveitá-la enquanto pudermos ... carpe diem.

Abraço

11:07 da tarde  
Blogger BIGMAC said...

Quem te disser que se despedirá de ti ou é teu amigo do peito distante ou não tem peitos para te dizer para não pensares nisso.

Eu digo-te (porque não tenho peitos): a vida vale muito mais do que isso, daquilo que procurares a vida dá-te o que necessitares.

(Rolling Stones) mas sublinho,

1:45 da manhã  
Blogger Enfim... said...

a morte é muito subjectiva.bjokas

12:59 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home